Compartilhe



O AQUECIMENTO GLOBAL NA REVISTA VEJA PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 5
PiorMelhor 
Escrito por Equipe Fakeclimate   
Dom, 08 de Setembro de 2013 15:30

Dentre as notícias sobre meio ambiente divulgadas nos últimos anos, o aquecimento global

aparece como uma das pautas extremamente recorrentes. Não obstante, percebe-se certa

uniformidade da mídia ao tratar desta questão, já que o enfoque é na maioria das vezes o

mesmo e as fontes utilizadas repetem-se com muita frequência. Diante deste contexto, por

meio dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso de corrente francesa,  procurou-se

verificar  que sentidos  a  Revista  Veja, não sendo especializada em divulgação científica,

produz  nessa  cobertura.  Sendo assim,  estabeleceu-se  como objetivos pesquisar o pré-

construído e as condições de produção de tal cobertura, e identificar os atravessamentos

discursivos presentes, as heterogeneidades, o dito, o não dito, os silenciamentos e os efeitos

de sentido. Comprovou-se como hipótese que o viés sensacionalista é  iminente nas matérias

de Veja sobre o assunto, que pesquisadores contrários ao aquecimento global antropogênico

são silenciados, e que há  um deslizamento de sentidos entre duas épocas dessa cobertura,

antes  do  climagate  e  três meses após esse acontecimento.  Para análise  comparou-se  dois

momentos da revista: parte do que foi publicado sobre mudanças climáticas no ano de 2006 e

parte do que foi veiculado  após o  climagate.  Concluiu-se que há  um efeito de sentido

sensacionalista na cobertura de 2006, uma retomada da memória da mídia por ela mesma

durante parte das notícias publicadas após o  climagate  e, por fim, observou-se um

deslizamento de sentidos três meses após esse episódio, tendo em vista que Veja produziu um

apagamento do discurso anterior e a formulação de um novo discurso.

 

Download

Última atualização em Dom, 08 de Setembro de 2013 15:33